num

Zaratan

GENTRIFORNICATION
COLECTIVA ANÓNIMA

Desde o início a Zaratan confia a organização da sua agenda de exposições aos seus artistas e desta forma encarna uma percepção anti-hierárquica do mundo da arte – onde artistas, curadores, galeristas, críticos e público são todos considerados “jogadores” do mesmo jogo – e abraça a teoria da pratica expandida, no sentido de considerar o artista não só como o “criador” da obra de arte, mas como um operador cultural socialmente imbricado.

A novidade está agora em abrir o convite a outros artistas, que, além de partilharem consistentes percursos artísticos, são acima de tudo artistas implicados de uma generosa vontade de explorar e desenvolver formatos não corrompidos e intuitivos. Este projecto concretiza-se ao longo de vários meses em propostas expositivas que não apenas envolvem, mas antes partem dos artistas-comissários envolvidos no processo. Perpassa-se por estimular procedimentos moldados na aceitação da incerteza, articulando uma maneira particular de integrar na curadoria a experimentação, a espontaneidade e a descoberta não submetidas a condições ou compromissos associados a resultados pré-estabelecidos.

Após as exposições de Sara & André, António Caramelo, Jorge Maciel e Cristina Assunção, Tiago Alexandre, é agora a vez de um artista anónimo assumir a curadoria de uma exposição colectiva de artistas igualmente não-identificados. GENTRIFORNICATION atribuí a obra de arte anónima a capacidade de ilustrar os limites das instituições artísticas. Ultrapassando as camadas complexas das autorias e das representações contemporâneas, o anonimato tem o potencial de fortalecer as constelações estéticas e culturais do espectador individual.”

 

Inauguração

Zaratan
Rua de São Bento 432
1200-550
967 580 235
www.zaratan.pt


marker Usar minha localização atual