num

Atelier-Museu Júlio Pomar

Formas que se tornam outras
Júlio Pomar

“Júlio Pomar. Formas que se tornam outras”, exposição com curadoria de Sara Antónia Matos e Pedro Faro, reflecte sobre o modo como o corpo, o erotismo, a sensualidade e a sexualidade atravessaram o percurso do artista ao longo de mais de 70 anos, com especial incidência nas décadas de 1960 e 1970, altura em que o trabalho de Júlio Pomar assumiu estes aspectos de forma mais explícita. O título desta exposição, que reúne mais de 80 obras de Júlio Pomar, parte de uma afirmação do próprio artista – «Gosto de formas que se tornam outras» – retirada do seu livro “Da cegueira dos pintores”, de 1986. E, antes, do texto “O Escrito”, de 1981: “«Amo as formas que se tornam outras». Nesta exposição, o corpo é como que um elemento condutor, que dirige o espectador e o pintor por entre obras, de diferentes períodos, interligando-as. É importante perceber então que as formas corporais que aparecem nestas pinturas, assemblagens, cenografias, esculturas, desenhos e obra gráfica – gravuras, cartazes, serigrafias e ilustrações para livros – , por vezes parecendo escapar-se e destacar-se do plano de representação, têm a função de organizar e pensar a própria pintura, bem como a realidade, a natureza e as narrativas que nela intervêm.

Curadores: Sara Antónia Matos / Pedro Faro

Exposição

Atelier-Museu Júlio Pomar
Rua do Vale, 7
1200-472 Lisboa
+351 215 880 793
info@ateleirmuseujuliopomar.pt
www.ateliermuseujuliopomar.pt


marker Usar minha localização atual