num

Centro Cultural das Mercês

Ar s/ terra
Maria Rebela, Ana Lúcia Ventura

A Natureza é a essência do que é feminino e por isso nele se reflete e age através da sensibilidade e da emoção. O feminino está dentro de cada um de nós e é ele que nos proporciona os meios para qualquer tipo de criação. Da Natureza nasce a pintura, e da pintura resultam, por meio de uma vertente cromática, várias atmosferas intimistas e introspetivas que convidam o observador a entrar num ambiente confortável que lhe permite entregar-se à sua própria reflexão. Tudo isto vai, sem dúvida, remeter para uma paisagem materializada e narrada pictoricamente por meio de uma expressão pessoal, uma poesia visual, que nasce acima de tudo a partir de um olhar único e pitoresco do que nos rodeia. Todos estes fatores levam a um a estímulo visual que apela à sensação presente na celebração da Natureza enquanto mãe-Terra, um organismo vivo do qual fazemos parte como as células fazem parte do nosso corpo e que traz vida, morte e regeneração num processo eterno de criação. Criação que eleva os valores lumínicos a expressão, intuição e impulsos cromáticos.
As questões levantadas refletem-se nos dois trabalhos, embora individualizados por um lado com um interesse no passado, presente e futuro e por outro uma dimensão mais feminina da natureza. Desta forma, existem dois universos distintos que dialogam entre si, e que encontram na pintura um ponto comum.

Inauguração

Centro Cultural das Mercês
Rua Cecílio de Sousa, 94
1200 Lisboa
+351 961 391 916


marker Usar minha localização atual